domingo, 16 de março de 2008

Professores

Na semana passada assistimos a uma mega Manifestação de professores em Lisboa, a protestar contra o novo sistema de avaliação. Sem estar muito a par deste assunto, penso que uma manifestação desta dimensão, deve ser tomada em conta. Foi sinónimo de um certo mal estar que existe entre a classe docente.
O Ministério da Educação ao introduzir este novo modelo de avaliação de professores, foi um pouco autista. Não mostrou qualquer abertura ao diálogo com as organizações representativas de professores. É certo que, como diz a Ministra Lurdes Rodrigues, é essencial um sistema de avaliação às escolas e aos docentes. Contudo introduzir algo tão importante, sem ouvir as criticas e sugestões de melhoria das partes que vão ser afectadas, é pouco razoável.
É obvio que não existem sistemas de avaliação perfeitos. No entanto, é possivel, através do diálogo e da boa vontade, tanto da parte do Ministério como dos Professores, introduzir alterações que possam melhorar os aspectos que são menos positivos.
O Ministério da Educação não pode efectuar alterações no sistema de ensino contra os professores. Infelizmente, parece que, por vezes, o Governo, faz de propósito para amesquinhar esta classe. Eu, se fosse docente do ensino básico ou secundário, com as "reformas" que têm sido tomadas, sentir-me-ia muito desmotivado.
Há quem pense, como alguns camaradas meus, que só vão as manifestações, pessoas que não são socialistas, nomeadamente comunistas e bloquistas. Estão completamente enganados. Havia muitos socialistas nesta última manisfestação. No outro dia, à conversa com um camarada meu que é professor e que foi à manifestação, este disse-me que viu lá imensos simpatizantes e militantes do PS. É caso para pensar: se até os apoiantes do PS, que contribuiram para que este fosse Governo, se manifestam, é porque algo vai mal no sector da Educação...
Não é preciso ser muito perspicaz para concluir que o sistema de ensino só pode melhorar, se os professores tiverem motivados. Que sintam que o seu trabalho não é inglório. Que sintam que são respeitados pelas pessoas. Só assim poderão ser bons professores e incutir nos alunos a cultura do rigor e da exigência,o prazer de aprender e que a educação e formação são fundamentais para o seu futuro. Só com uma população qualificada, é que Portugal pode ter pretensões a ser um pais cada vez mais desenvolvido,justo e solidário.
Ps: Ao longo desta semana, tenho lido e ouvido noticias, de que parece haver vontade por parte do Ministério da Educação de ouvir os sindicatos. Se tal se concretizar, espero que haja bom senso e flexibilidade de ambas para se atingir um acordo.

2 comentários:

Renato André disse...

Concordo plenamente com a tua reflexão. É preciso que as pessoas se ouçam umas às outras. É preciso saber explicar razões, em democracia. Como Manuel Alegre dizia, Sócrates não pode fazer ouvidos moucos a esta tamanha manifestação, que incluiu professores descontentes também do PS. É tempo de não categorizar as pessoas com PC's, como BE's ou como PS's ou PSD's, mas sim de haver diálogo e entendimento. Se há descontentamento, não mvale a pena esconder-se atrás de maiorias absolutas. Há que ouvi-lo, sob pena de se ficar surdo para sempre...

Artes Mistas disse...

Olá João. Finalmente vim espreitar o teu blog.
É claro que não posso concordar mais contigo. Os professores sentem-se cada vez mais desmotivados. Como sabes, não trabalho na área, infelizmente, mas sou casada com um professor que se sente um dos seres mais humilhados, por parte da sua ministra. Se o diálogo fosse para a frente e se o governo ouvisse o que as pessoas têm a dizet sobre os assuntos e ouvir as suas opiniões acerca de como poderiam melhorar, era melhor do que colocar "rótulos" nas pessoas. Como te disse uma vez, o importante é a competência das pessoas e não a sua suposta cor política. Bem... agora espero por uma visitinha da tua parte ao meu blog que não tem nada a ver com estes assuntos que são muito importantes para nós. No entanto espero que gostes.
Jokas Ana Pinheiro